Baru e pequi contribuem para saúde do coração

Pequi Talvez o mais conhecido e característico fruto goiano, o pequi ou piqui, faz um bem danado para o coração. A frutinha amarela de cheiro forte é rica em vitaminas C, A, E e Licopeno ( que trás benefícios para próstata e para o coração). Com o fruto é possível fazer receitas doces e salgada. […]

Publicado dia 21/03/2017 às 18:03

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Pequi
Talvez o mais conhecido e característico fruto goiano, o pequi ou piqui, faz um bem danado para o coração. A frutinha amarela de cheiro forte é rica em vitaminas C, A, E e Licopeno ( que trás benefícios para próstata e para o coração). Com o fruto é possível fazer receitas doces e salgada. Como o pequi com frango – tradicional prato goiano – ou o brigadeiro de pequi.

O óleo extraído da fruta é rico em ácidos gordos (monoinstaurados), ou seja, gordura saudável para o coração, a mesma que é encontrada nas nozes e no azeite de oliva.

Baru
A amêndoa do baru é um fruto de uma palmeira típica do cerrado. Pouco conhecida dos brasileiros, ela possui grande poder antioxidante, eficaz na prevenção de doenças como cardiopatias, aterosclerose, câncer, diabetes e Alzheimer. O desenvolvimento dessas doenças estão relacionadas ao estresse oxidativo – alta produção de radicais livres. Pesquisa realizada na Universidade de Brasília (UNB) comprova a eficácia do consumo da castanha do baru.

Teste feito em dois grupos de ratos demonstrou o poder antioxidante presente na amêndoa. Todos os animais fora induzidos ao estresse oxidativo, uma das principais causas do desenvolvimento de cardiopatias, mas apenas um grupo recebeu ração à base de castanha de baru. De acordo com dados da pesquisa, os ratos que consumiram a ração feita de amêndoa tiveram seus órgãos preservados enquanto os outros sofreram danos no fígado, coração e baço.

O baru deve ser consumido torrado ou cozido, nunca crua, pois só assim dá para retirar todo o potencial nutricional e farmacológico.