Diabético tem proteção do Estado desde 2015. Confira seus direitos

No dia 3 de dezembro de 2015 foi realizada na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás audiência pública para criação do Estatuto do Portador de Diabetes. O regulamento foi proposto pelo deputado Antônio Carlos Caetano de Moraes e visa criar um documento único com leis que amparem o portador da enfermidade. Segundo o deputado, o […]

Publicado dia 24/07/2017 às 21:54

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

No dia 3 de dezembro de 2015 foi realizada na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás audiência pública para criação do Estatuto do Portador de Diabetes. O regulamento foi proposto pelo deputado Antônio Carlos Caetano de Moraes e visa criar um documento único com leis que amparem o portador da enfermidade. Segundo o deputado, o estatuto “dará uma divulgação maior da doença para que as pessoas possam se tratar adequadamente”.

A mesa diretora foi composta pelo deputado Antônio, pelo presidente do Instituto de Assistência e Pesquisa em Diabetes (IAPD), Nelson Rassi, pela representante da Superintendência de Vigilância e Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Ana Cristina Gonçalves de Oliveira, o médico endocrinologista Alberto Dias Filho e o assessor parlamentar da deputada Adriana Accorsi, João Abrahão.

“Esse documento é uma iniciativa importante pois fará com que os direitos dos diabéticos sejam garantidos em todas as instâncias governamentais. Acreditamos que essa medida fará com que os portadores da doença tenham uma assistência de qualidade adequada e oportuna para cada caso”, explica Ana Cristina.

O documento pretende facilitar ao diabético e ao público em geral o acesso a informações úteis. Foi criada ainda uma comissão – formada por portadores, mães, autoridades e simpatizantes da causa – que elaborará o projeto e representará os portadores junto às autoridades para o cumprimento dos seus direitos.

O presidente do IAPD, Nelson Rassi, acredita que iniciativas como essa devem ser imitadas pelo restante do país. “Se não tivermos políticas racionais e inteligentes, que produzam medidas efetivas no combate à essa doença, não faremos progresso. O diabetes, apesar de ser um problema social, só será resolvido com decisões políticas”.

Antônio Carlos Caetano também fez um pedido à prefeitura de Goiânia para que ela cedesse uma área destinada à construção de uma sede do Istituto. O IAPD e o deputado estarão juntos no projeto da fundação do Centro de Referência em diabetes. O local atenderá diabéticos de todo estado de Goiás.

“Isso com certeza trará muitos benefícios para os diabéticos, já que possibilitará mais pesquisas de orientação aos portadores da doença, da necessidade de não só tratar com o medicamento, mas buscar mudar hábitos alimentares, incentivar práticas esportivas, etc. Isso será fundamental para o tratamento”, afirma o parlamentar.

Participantes da audiência também apresentaram suas reivindicações dizendo que estavam insatisfeitos com o atendimento fornecido. De acordo com os pacientes presentes, falta insulina nos postos de atendimento do Estado e é difícil o acesso aos medicamentos e a doses adequadas. “O portador de diabetes encontra uma grande dificuldade de acesso à informação, medicamentos e acompanhamento. Ele fica refém dessa situação. O que mais se vê são tratamentos equivocados que muitas vezes geram um problema a longo prazo como a amputação de membros, cegueira, etc”, disse o portador de diabetes Daniel Braga.