Lipodistrofia atinge pacientes com diabetes

A lipodistrofia é um grupo de condições que provoca a ausência de gordura subcutânea, causada por defeitos no metabolismo. Segundo o endocrinologista Paulo Prata, existem muitos tipos de lipodistrofia: a congênita generalizada, parcial, progressiva e a total. A doença também influencia na absorção da insulina e leva a uma desordem do controle metabólico do paciente. […]

Publicado dia 12/04/2017 às 11:00

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

A lipodistrofia é um grupo de condições que provoca a ausência de gordura subcutânea, causada por defeitos no metabolismo. Segundo o endocrinologista Paulo Prata, existem muitos tipos de lipodistrofia: a congênita generalizada, parcial, progressiva e a total. A doença também influencia na absorção da insulina e leva a uma desordem do controle metabólico do paciente. “Ela é uma complicação comum da injeção de insulina sub-cutânea e compreende a lipoatrofia e a lipohipertrofia”, afirma Paulo.

A lipoatrofia é uma lesão causada pela atrofia do tecido gorduroso subcutâneo. “Ela tem uma base imunológica e é uma reação induzida por componentes lipolíticos e impurezas de algumas preparações de insulina”, explica o endocrinologista. “A prevalência da lipoatrofia no passado era de 15% a 55%, mas nos dias atuais esta complicação diminuiu muito”, completa.

Já a lipohipertrofia é caracterizada por inchaço – uma forma benigna e macia de tecido lipídico – que ocorre devido à propriedade lipogênica da insulina. Quando a insulina é injetada repetidamente em um mesmo local, células lipídicas hipertrofiadas substituem o colágeno da derme. O problema, segundo o especialista, é a complicação dérmica mais comum associada à injeção de insulina que nos dias atuais ainda permanece alta. “É estimado ocorrer em 40% dos diabéticos tipo 2 e entre 20% e 30% no tipo 1. Pode levar ao descontrole metabólico do paciente e aumento do desenvolvimento de complicações”, explica o médico.

De acordo com Paulo Prata, os fatores que influenciam o desenvolvimento da lipohipertrofia são o tempo em que a insulina está sendo usada, gênero, índice de massa corporal, local da injeção, rotação dos locais da aplicação, uso de canetas (quando oposto a seringas) e a frequência de trocas das agulhas. As opções terapêuticas para o tratamento metabólico da lipodistrofia consiste na modificação do estilo de vida com dietas, exercícios e medicações anti-hiperglicêmica e redutora de lipídios.