Possível cura para diabetes tipo 1

Estudo aponta benefícios de vacina contra a tuberculose no tratamento do diabetes

Publicado dia 13/08/2012 às 18:30

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

A diabetes tipo 1, vertente menos comum da doença, é causada pelo próprio sistema imunológico do corpo, que ataca células do pâncreas. Apesar de ocorrer em qualquer idade, é mais comum em crianças, adolescentes ou adultos jovens, por isso também é conhecida como “diabetes juvenil”.

Como muitos já sabem, a diabetes ainda não tem cura, e o seu tratamento pode ser complicado. A doença do tipo 1 exige injeções diárias de insulina para regular os níveis de glicose no sangue do paciente, com risco de vida se as doses não forem dadas regularmente.

Agora, uma cientista bastante criticada pelos seus semelhantes, Denise Faustman, diretora do Hospital Geral de Massachusetts (EUA), acaba de divulgar os resultados de um estudo experimental que usou uma vacina para a tuberculose criada há um século que conseguiu “banir” a doença nos pacientes temporariamente.

Publicado na revista PLoS One, o estudo envolveu uma vacina genérica conhecida como BCG (Bacillus Calmette-Guérin, ou vacina contra a tuberculose, obtida através da bactéria Mycobacterium bovis em estado atenuado). O medicamento genérico, com mais de 90 anos de uso clínico, é atualmente aprovado nos EUA para a vacinação contra a tuberculose e para o tratamento de câncer de bexiga.

A primeira fase do ensaio clínico confirmou que o uso da vacina eleva os níveis de um modulador do sistema imunitário, o que pode causar a morte de células autoimunes que alvejam células secretoras de insulina do pâncreas, restaurando tempo rariamente a secreção de insulina em pacientes humanos com diabetes do tipo 1.

O estudo
Em 2001, a equipe descobriu que induzir a expressão do fator de necrose tumoral (TNF, na sigla em inglês) destruía células de insulina autorreativas T, curando diabetes tipo 1 em ratos, por permitir que o pâncreas se regenerasse.

Como doses elevadas de TNF são tóxicas para os seres humanos, na próxima fase da pesquisa os cientistas usaram a vacina BCG, que eleva os níveis de TNF nos humanos com segurança.

O próximo passo da pesquisa é aumentar a dosagem de BCG em uma segunda fase do estudo clínico.