Slide Board Training na prevenção de lesões

O Slide Board possui uma placa sintética que proporciona atrito próximo a zero quando está em contato com tecidos. O equipamento surgiu no final da década de 1970 e foi desenvolvido pelo patinador de velocidade Eric Heiden. Após sua aposentadoria, Heiden formou-se em Medicina e se especializou em Ortopedia, sendo também um dos primeiros a […]

Publicado dia 17/05/2017 às 11:00

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

O Slide Board possui uma placa sintética que proporciona atrito próximo a zero quando está em contato com tecidos. O equipamento surgiu no final da década de 1970 e foi desenvolvido pelo patinador de velocidade Eric Heiden. Após sua aposentadoria, Heiden formou-se em Medicina e se especializou em Ortopedia, sendo também um dos primeiros a utilizar o Slide Board na reabilitação de seus pacientes.

O equipamento explora o baixo atrito como forma de estímulo para proporcionar atividades de alta, média e baixa intensidade, com o mínimo de impacto articular. O praticante sobe no equipamento vestindo uma espécie de “sapatilha” por cima do tênis ou uma luva nas mãos para fazer os exercícios.

De acordo com o fisioterapeuta Estevão de Souza Diniz, o grande diferencial do equipamento é explorar os estímulos e adaptações que ocorrem no organismo quando entra em uma superfície de baixo atrito. Entre essas adaptações, a principal é a contração muscular excêntrica (negativa) que evita o escorregamento e mantém o equilíbrio durante vários movimentos executados no Slide Board. A excêntrica é comprovada como a melhor para promover forção, flexibilidade e prevenir lesões.

Em 2014, Estevão Diniz desenvolveu uma metodologia de exercícios baseados em estudos e evidências científicas que viabiliza a utilização do Slide Board por qualquer pessoa, de todas as idades e tipos físicos. A técnica é denominada de Slide Board Training. Para realizá-la é preciso que um instrutor licenciado tenha conhecimento suficiente para adequar e viabilizar os exercícios às necessidades dos alunos.

O fisioterapeuta ministra cursos de formação em todo o Brasil. Em pouco mais de dois anos já são mais de 300 profissionais habilitados a trabalhar com essa metodologia no País. “Temos convite para em 2017 levar o método a outros países, como México, Argentina e Chile”, comemora.

O Slide Board Training pode ser utilizado por educadores físicos, com objetivos de desenvolvimento físico, performance ou prevenção de lesões. E também por fisioterapeutas no tratamento e prevenção de inúmeras doenças. Com uma boa metodologia, todo o corpo é trabalho, todavia a ênfase maior é em região abdominal e membros inferiores. Ademais, pode ser utilizado para promover gasto calórico, fortalecimento e tonificação muscular e ganho de flexibilidade. Entretanto, a técnica só deve ser praticada com o acompanhamento de um profissional habilitado.

As contraindicações dos exercícios em baixo atrito estão ligadas a incapacidade do profissional em adequar os exercícios as capacidades dos alunos. “Hoje utilizamos com idosos, amputados e até mesmo pacientes em Unidade de Terapia Intensiva (UTI)”, relata.